Testemunho do aluno Waldemar

Caros,

Estou aqui para relatar minha breve experiência em concursos públicos, 8 meses de estudo até aprovação, um tanto rápido e inesperado até para mim, confesso, mas acima de tudo um relato para quem quer mudar de vida. 

Nas linhas abaixo relato porque decidi “mudar” de emprego, e como organizei meu estudo a partir do zero.

 

Histórico:

         Tenho 27 anos, sou técnico, e posteriormente engenheiro formado e trabalho desde os 17 anos como estagiário prestador de serviço e efetivo em diversas empresas (14 no total) tendo assumido diversos cargos de supervisão e chefia em empresas nacionais e multinacionais. 

         Em janeiro do ano passado (2005) estava morando no Rio Grande do Sul, na conhecida cidade de Pelotas (sem piadas, por favor), com um salário muito bom para os padrões de São Paulo, então... CANSEI!! ...Cansei do jogo das empresas, da política, dos alpinistas empresariais, da falta de respeito pelos funcionários e da falta de ética (ou do MEU excesso de ética empresarial), de ganhar $$$ para os outros, e de trabalhar 12, 14 ou mais horas por dia, sempre na necessidade da empresa, ou melhor, na ganância da empresa.

 

Mudança:

         Aproveitando tudo isso me demiti, sem plano nenhum, juntei minhas escovas de dente e voltei para SJC. 

         Fiquei 3 meses(de janeiro a metade de Abril) na praia voltando para entrevistas de emprego e para ver os amigos e família. Recebi várias propostas ótimas, para ganhar menos e trabalhar mais, já avisado que teria que trabalhar as 12, 14 horas sem receber hora extra, um cargo de “confiança” (confiam que você é BOBO), rechacei todas, afinal o que eu queria era QUALIDADE DE VIDA, ou seja, trabalhar uma quantia de horas adequada, com um salário condizente, direitos respeitados e com total SEGURANÇA, e o melhor numa “empresa”, que mesmo que não funcione perfeitamente, tem um objetivo muito nobre o BEM ESTAR SOCIAL, se vocês não sabem de quem eu estou falando, digo o GOVERNO, ou como aprenderão a administração Pública.

  

 Seguem alguns pontos importantes (na minha opnião) para estudar e passar em concursos públicos

 

1- Motivação:

Porque eu quero um emprego ou cargo público?

         Saber porque quer um emprego público e não ficar se torturando se o emprego é chato, se o trabalho é tedioso, se o chefe será “bonzinho”, se você pode ganhar mais na iniciativa privada, se não vão te estereotipar de vagabundo, etc e tal..., talvez seja o mais importante. 

         CONVERSE com algum funcionário público (em geral muitos professores de cursinho o são) e tire suas dúvidas sobre o cargo pretendido, e sobre o órgão em qual pretende trabalhar, no meu caso eu tinha interesse na Secretaria da Receita Federal, e tinha alguns amigos que trabalhavam lá, me informei com eles e com os professores, e vi que era o ambiente de trabalho que eu desejava.

 

Agora se você tem as dúvidas acima vou colocar a minha impressão, de acordo com as conversas que eu tive:

  • Todo trabalho é chato, o bom mesmo é ficar na praia, certo? ERRADO, como você enxerga o seu trabalho é importante, como você acorda todo o dia e se desafia a fazer o melhor é o importante, a vantagem é que nos empregos / cargos públicos VOCÊ é respeitado como jornadas de trabalho dignas, tempo para descanso (conforme a CLT), e sem a pressão para produzir o máximo possível, e sim para fazer as coisas no seu ritmo da melhor maneira possível.
  • A maior parte dos funcionários públicos recusa cargos de chefia, porque? Porque ninguém quer aparecer, ninguém vai ser “promovido”, não existe concorrência,e TODOS tem de ter a responsabilidade sobre o que fazem, os chefes tiram dúvidas e ajudam na resolução dos problemas (o que deveria ser a função de TODOS os chefes).
  • Os salários são acima da média do mercado, porque? Na verdade eles são salários JUSTOS, que as classes e sindicatos de servidores através da união, e de anos de reivindicação conseguiram junto ao governo, os salários da iniciativa privada é que ficam defasados devido a pressão de uma população ativa em constante aumento e um nível de emprego estável(quem estudar economia entenderá).
  • Posso ganhar mais na iniciativa privada? Com CERTEZA, esse é o sonho vendido a todos pela VOCÊ S/A, EXAME, etc e tal, você acredita? Eu vivi esse sonho, não gostei e não acredito mais, muita gente consegue vencer e receber altos salários em cargos de direção, chega ao CEO (cargo de direção máxima), mas eles são a minoria, e no final o preço vale a vitória? Afinal os diretores têm na sua grande maioria mais de 50 anos, quando assumem, trabalhar “camelosamente” até os 50 anos não é o meu objetivo, se for o seu continue.
  • Existe preconceito contra os funcionários públicos? EXISTE e inclusive eu era um dos mais revoltados, achava que alguém que trabalha APENAS 8 horas por dia não pode receber um salário maior que eu que trabalhava 14 horas por dia! ! como eu era BURRO... Aquela pessoa fez por merecer por passar no concurso, e por executar uma função muito mais importante do que a minha no contexto social, e para o país!

 

         Vi vários colegas fracassarem nos concursos devido a esta dúvida, ou melhor, a falta de MOTIVAÇÃO, iam 2 dias na aula, faltavam outros, falavam mal de funcionários públicos, achavam os salários irreais, ou seja já tinham todas as desculpas para não estudar e nem passar, e o principal não se MOTIVARAM para serem funcionários públicos.

         A motivação não vem de livros, cursos ou palestras, mas vem de cada pessoa sabendo, no intimo, que está fazendo o certo e ético.

         Esse foi o meu primeiro passo e demorou 3 meses, algumas vezes as dúvidas voltaram, e conversar com meus amigos, já funcionários, ou que estavam estudando como eu ajudava muito.

 

2- Material de estudo:

Vou dar um exemplo simples:

Um curso básico: R$ 1.500,00 em média, com 10 matérias.

Apostilas complementares: 10 x R$ 25,00(em média) = R$ 250,00.

 

         As apostilas custam 1/6 do preço do curso, e a MAIORIA das pessoas não compra! Jogam fora os outros R$ 1.500,00! 

As apostilas são uma complementação importante para o estudo, em especial as apostilas focadas para o concurso em questão, com exercícios e a matéria exatamente como será cobrada para a prova.

Eu estudei pelas apostilas focadas para os concursos da ESAF em especial AFRF(o que eu passei !) e não tive nenhuma dificuldade para interpretar as questões e nem para fugir das pegadinhas, outras pessoas não estudaram e... não passaram!!

        

Algumas regras que considero importantes na escolha da apostila:

  • Compre apostilas focadas para o concurso que deseja.
  • Fuja das apostilas de “oportunistas” aquelas que saem uma semana depois do edital, geralmente elas contém erros e falhas na revisão, se não forem “repetecos”, com a capa alterada).
  • Nas matérias relacionadas ao direito procure SEMPRE as mais atualizadas, os concursos geralmente cobram as novidades na legislação e na doutrina.
  • Exceto se você for fazer concursos na área jurídica, ou com prova discursiva, evite livros, as bancas nem sempre concordam com todos os autores, e algumas vezes utilizam classificações e nomenclaturas diferentes, prefira apostilas ou livros focados em CONCURSOS.
  • Prefira comprar as apostilas por matéria, não compre aquela com TODAS as matérias para o concurso.

        

Só como exemplo, com apostilas para a área fiscal consegui me classificar a 3ª fase(exame físico) do Agente de promotoria do Ministério Público de São Paulo.

 

3- Estudo:

         Tempo de estudo:

Estudei durante 8 meses, apenas de 2ª a 6ª (algumas vezes até 5ª feira), de 5 a oito horas por dia, ou seja aproximadamente 2.200 horas, ou seja não foi tanto assim, existem pessoas que estudam de 1 a 3  anos para passar em concurso do porte do AFRF, e pessoas que estudam ainda menos e passam.  

Esqueça o tempo do colégio que estudar era uma obrigação horrível, a cobrança, a pressão, etc e tal, FAÇA DO ESTUDO UM PRAZER, imagine a aplicação da matéria no dia-a-dia e no seu futuro trabalho, e nunca, jamais fique estressado, estressou vai tomar banho, faça uma boa refeição ou simplesmente relaxe. 

O importante é a qualidade do estudo, acredito que se durante um ano você estudar 3 horas por dia com qualidade você pode passar em quase todos os concursos (só não entro no mérito dos concursos para magistratura). 

Uma frase que adorei foi de uma professora (que eu detestava): “para passar em concurso público você tem de estudar até passar”, reduz a intensidade...

 

Local de estudo:

Odeio barulho, adoro música, então simplesmente me isolava acusticamente do barulho colocando a música alta o suficiente para não ouvir nada além dela, mantinha o telefone perto para não ter de correr atrás quando alguém ligasse, e só!!

 

Forma de estudo:

 O importante é cada um encontrar a maneira melhor de estudar a minha era ler a matéria durante 45min há 1 hora, relaxava (comia, exercícios) e depois bateria de 30min a 1hora de exercícios, relaxava (idem) e voltava a leitura. 

Sempre achei mais importante fazer exercícios que ler, pela fixação e pelo aprendizado, fazia cada bateria como se fosse uma prova, anotava os percentuais de acerto, e corrigia cada questão errada escrevendo um resumo de 1 a 3 linhas sobre o meu erro de forma a fixar a matéria mal aprendida. 

Só para se ter uma idéia na matéria de controle de constitucionalidade a primeira vez que fiz os exercícios acertei ridículas 6 de 27 questões.. Antes do concurso todas as 27 já era a 4ª vez que revisava a matéria, nossa mente fixa de maneira exponencial, ou pelo menos a minha.

 

4- Faça concursos;

         Nestes oito meses que estudei prestei 6 concursos, nem todos relacionados a área, porém todos eles me ajudaram a passar no concursos principal, pois aprendi o horário ideal para chegar a relaxar nos 15 minutos que antecedem a prova, a rir quando aparece uma questão absolutamente insolúvel, e a nunca perder a calma e a CONFIANÇA, pois numa prova o importante é ir sempre pelo que sabe, ou seja não inventar, quando você perde a confiança numa prova, o certo e o errado ficam todos iguais...

         Na prova de AFRF comecei por direito constitucional, minha matéria mais forte, no meio da prova já duvidava até do meu nome, alterei várias questões que sabia estarem certas, por dúvida, resultado, fiquei em cima da linha para não ser eliminado... Porque? Era a primeira prova que fazia com direito constitucional, e perdi a confiança!

         Nas outras matérias resolvi fazer do jeito antigo, sem revisar (este é meu jeito, cada um tem o seu) e obtive boas notas que me permitiram compensar e passar no concurso.

 

5- Balanço final:

         Passei 8 meses saindo todos os dias a noite(futebol, pizza, sair com os amigos, namorada), indo para a praia no fim de semana, ou seja tendo uma vida normal e com poucos sacrifícios(na minha opinião nenhum já que estudar era um prazer) e passei num concurso com boa remuneração onde posso levar a vida da maneira que acho correta.(descendo para o litoral todo final de semana!!) 

         Retirando as certidões para a ESAF encontrei outros aprovados que eram, casados, trabalhavam, faziam mestrados, sustentavam a família, ou seja, possuíam muito menos tempo para estudar do que eu, e todos fomos aprovados em colocações superiores a minha, ou seja, É POSSIVEL CONCILIAR TRABALHO E ESTUDO, basta disciplina e organização.

 

6- Acredite:

         Acho que quem estudou comigo não deve acreditar que eu passei (às vezes nem eu acredito), só ia de chinelo, bermuda, sempre bronzeado, com sono, e um cabelo de dar medo (estou esperando começar o curso de formação para cortar), nunca dei atenção para os papos de “eu estudo 12 horas por dia” “minha vida é estudar” “você é meu adversário”, e sempre tentei explicar o melhor possível para os outros as dúvidas que eles viessem a ter.

 

         É ENSINANDO QUE MELHOR SE APRENDE!

         Não sou gênio, já repeti de ano, nunca tinha estudado (pra nada) antes de focar em concursos, e realmente pensava em tomar posse de algum pedaço de mata atlântica e montar um bar na beira da praia...

 

 

Resumo dos concursos que prestei:

 

Nossa Caixa: Auxiliar Administrativo.

 

APROVADO:  

29º de 9800(se não me engano) na região de São José dos Campos.

Comentário: Quando saí da prova fiquei deprimido e me achei burro, pois a matéria que eu achava “fácil” me arrebentou (informática), e mesmo sendo engenheiro esqueci até da formula de baskara (equação de 2º grau), fiquei um pouco nervoso e aprendi a não levar água para a prova (tomei no 1º minuto).

 

 

Prefeitura de São José dos Campos: Agente Fiscal.

 

APROVADO:  

14º de 11727(aproximadamente).

Comentário: Provas fáceis podem ser mais difíceis, errei 2 de 50 e fiquei fora dos 10 primeiros que seriam chamados, duas faltas de atenção daquelas de doer o coração em português.

 

REPROVADO:

TCE-SP (tribunal de contas do estado): Auxiliar Administrativo V.

459º de 55.837 candidatos.

 

Comentário: não estudei com afinco, pois estava voltado para o concurso de AFRF que seria uma semana depois, e fiz uma “baladinha” na noite antes da prova, ou seja, fiasco leve.

 

 

SRF: Auditor Fiscal da Receita Federal.

 APROVADO:221º de 21.531

 

Comentário: A prova mais difícil de toda a minha vida, 3 provas em 2 dias todas com o tempo muito curto, sem espaços para indecisão ou vacilos(ou poucos), quando acabei a última prova a sensação de dever cumprido foi enorme, mesmo sem a certeza da aprovação, e o meu cérebro estava frito, sem condições de fazer mais nada...

         Foram 11horas e 30 minutos de prova em 28 horas de vida, uma bela maratona, o fator psicológico de não se abater foi fundamental depois do fiasco em Direito constitucional (que citei acima). 

 

Agente de promotoria do ministério público de SP.

 

APROVADO: 

Entre os 120 primeiros entre 5.581 inscritos.

 

Comentário: Apareceu uma prova discursiva na qual senti muita falta não ter lido livros de direito e nem ter me preparado para fazer redações, e nem responder a perguntas discursivas (lembram do que falei sobre livros e se preparar o concurso certo), a prova física aconteceu depois do resultado do AFRF, portanto nem fui lá conferir, muito menos correr.

 

Técnico da Receita Federal.

 

APROVADO:

 

Não foram divulgados os resultados. 

         Comentário: Esse concurso era o meu foco principal, só desviei porque apareceu o de auditor em dia diferente (nos últimos concursos os dois eram marcados no mesmo dia o que fazia com que as pessoas optassem por um ou outro), como já sabia o resultado do auditor não estudava há mais de 3 semanas e fiz apenas para acompanhar os meus amigos, e porque já tinha pago, era o fim do ciclo que eu havia planejado. 

Espero que eu possa ter passado algo para todos, para tomar a decisão de começar a estudar ou para aumentar a motivação dos que estão estudando, mas nunca se esqueçam do motivo de estarmos aqui: Sermos felizes e fazermos as pessoas próximas de nós felizes.

Bons estudos.

HOJE É FISCAL DA RECEITA FEDERAL.

 

Testemunho do aluno Waldemar


Caros,

Estou aqui para relatar minha breve experiência em concursos públicos, 8 meses de estudo até aprovação, um tanto rápido e inesperado até para mim, confesso, mas acima de tudo um relato para quem quer mudar ...

Clique aqui para ler o depoimento completo!