Polícia Civil/SP: 3.910 vagas para novos concursos.

A Polícia Civil do Estado de São Paulo (PC/SP) reforçou, junto à Secretaria Estadual de Gestão Pública (SGP/SP), seu pedido de autorização para a realização de novos concursos públicos. A boa notícia é que a nova solicitação, encaminhada recentemente, conta com nada menos do que 1.836 vagas a mais que a solicitação anterior, encaminhada em 2016. Na ocasião, o pedido era para o preenchimento de 4.438 postos, sendo 2.364 para a convocação de remanescentes de concursos já realizados e 2.074 para a realização de novos concursos. O novo pedido é para o preenchimento de 3.910 postos, todos para a realização de novos concursos, o que reforça o aumento da necessidade de servidores no período. 

 

O pedido é para o preenchimento de vagas em 2018, o que não impede que pelo menos a autorização do governador Geraldo Alckmin ocorra ainda este ano, tendo em vista que todo o processo de seleção até a posse demanda meses. Vale lembrar que, das 2.364 vagas para remanescentes solicitadas em 2016, ao menos 1.118 foram atendidas, de acordo com autorização do governador em abril deste ano. Com isto, agora a expectativa é pela retomada da realização de novos concursos, o que depende exclusivamente de autorização do governador Geraldo Alckmin.  

 

Das 3.910 vagas do novo pedido, 1.314 são para cargos com exigência de ensino médioe 2.596 para cargos de nível superior, com remunerações iniciais de até R$ 10.142,55

No caso de ensino médio, a previsão de novos concursos é para os cargos de agente de telecomunicações (com 457 vagas), agente de polícia (446), papiloscopista policial (190) e auxiliar de papiloscopista, com 221. Para os cargos de agente policial e auxiliar de papiloscopista, a remuneração inicial é de R$ 3.428,38, incluindo o salário de R$ 2.793,60 e o adicional de insalubridade de R$ 634,78. Para papiloscopista e agente de telecomunicações, iniciais de R$ 4.086,56, incluindo salário de R$ 3.451,78 e os R$ 634,78 de insalubridade.

 

A diferença salarial entre os cargos de agente policial e auxiliar de papiloscopista para os papiloscopistas e agentes de telecomunicações se deve à lei complementar 1.249, de 3 de junho de 2014, que alterou de ensino fundamental para médio a exigência de ingresso para os cargos de agente, atendente de necrotério e auxiliar de papiloscopista, sem compatível alteração salarial.

 

Nível Superior

Em caso de nível superior, o pedido para novos concursos é para os cargos de investigador de polícia (com nada menos do que 1.400 vagas), escrivão (776), médico legista (52) e delegado de polícia (368). A remuneração inicial para os cargos de investigador e escrivão é de R$ 4.194,76, já considerando o complemento, enquanto para legista, o inicial é de R$ 8.601,76 e para delegado, R$ 10.142,55, também considerando o adicional de insalubridade.

 

 

Alterações

Um ponto importante em relação ao pedido de autorização de concurso anterior, de 2016, é a exclusão de quatro cargos na nova solicitação: fotógrafo técnico pericial, desenhista técnico pericial, atendente de necrotério e perito criminal.  No caso de perito, cujo pedido era de 329 vagas, 61 foram preenchidas com a convocação de remanescentes, em abril.

Em contrapartida, o novo pedido reinclui outras três carreiras que haviam sido solicitadas pela corporação em 2015 e retiradas na solicitação encaminhada em 2016, para os cargos de papiloscopista, agente de telecomunicações e agente de polícia, novamente solicitados no pedido deste ano.  

      

 

Orçamento

A realização de novos concursos está prevista na lei 16.347, sancionada por Alckmin em 29 de dezembro, que orça a receita fixa e despesas do estado, no exercício de 2017. A lei conta com uma previsão de R$ 115,5 milhões para a “realização de concursos para a Academia de Polícia para as diversas carreiras policiais, bem como os cursos de formação e aperfeiçoamento dos policiais integrantes da Polícia Civil”. O valor indicado no orçamento de 2017 é muito superior ao de 2016, que também previa a realização de concursos, mas destinava apenas R$ 30,5 milhões neste sentido.  

 

Reestruturação na Polícia Civil/SP

 

Vale lembrar que  tramita na Alesp o projeto de lei complementar 37/2016, do deputado Campos Machado(PTB) que visa instituir a lei orgânica da polícia do Estado de São Paulo. Um dos objetivos da proposta é reestruturar o quadro de servidores da Polícia Civil/SP, com  a criação de uma nova carreira, de agente de polícia que, caso aprovado o projeto, substituirá as atuais funções de agente policial, auxiliar de papiloscopista, atendente de telecomunicações,fotógrafo técnico pericial, desenhista técnico pericial, atendente de necrotério e auxiliar de necropsia. 

 

Ainda não é possível prever se o projeto terá impacto nos novos concursos da Polícia Civil/SP,pois isto dependerá do tempo necessário para sua eventual aprovação,bem como de quando o governador autorizará a realização dos novos concursos.

FONTE: JCCONCURSOS.COM

Testemunho do aluno Waldemar


Caros,

Estou aqui para relatar minha breve experiência em concursos públicos, 8 meses de estudo até aprovação, um tanto rápido e inesperado até para mim, confesso, mas acima de tudo um relato para quem quer mudar ...

Clique aqui para ler o depoimento completo!